Alguns estudantes do curso de fisioterapia da UFPB, acompanhados pela professora Lígia Ortiz, marcaram presença no II congresso latino americano e VIII congresso brasileiro de ortopedia técnica, nos dias 27 de setembro à 01 de outubro em Natal-RN. O evento foi presidido por Piter Kuhn, atual vice-presidente da ABOTEC, ortesista e protesista ortopédico e contou com a presença de profissionais da área, inclusive, José André Carvalho, fisioterapeuta ortesista e protesista autor dos livros: Amputações de membros inferiores: Em busca da plena reabilitação; órteses: Um recurso terapêutico complementar.

Os alunos e a professora agradecem à:Pró- Reitoria de Apoio ao Estudante – PraPe – especialmente ao professor reitor Severino Ramos de Lima e a COAPE,  à Professora Ilka Maria Lima de Araújo pelo empenho para disponibilizar o transporte dos estudantes até o evento.


 

Amputação

Publicado: setembro 13, 2011 em Saiba mais

O termo amputação tem origem do latim (ambi= em volta de; e putatio= podar/retirar).  A amputação pode ser definida como a retirada total ou parcial de um membro que pode ocorrer de forma traumática ou cirúrgica. 

Para muitos o termo “amputação” está relacionado com o terror, derrota e mutilação, trazendo de forma implícita, uma analogia com a incapacidade e a dependência.

As causa mais frequentes de amputação são doenças vasculares periféricas, diabetes, tumores, traumas, infecções de repetição, malformação congênita, entre outras.

 

Cadeirantes e esportes radicais

Publicado: setembro 2, 2011 em Curiosidades

 Essas  pessoas superaram todas as dificuldades impostas pela vida e hoje dão exemplo a todos que buscam inspiração para continuar lutando pela sobrevivência!

Subida e descida de escada com muletas

Publicado: setembro 2, 2011 em Saiba mais

Muletas

Publicado: agosto 30, 2011 em Saiba mais

São dispositivos auxiliares para marcha disponíveis em dois modelos: as axilares e as de antebraço, que podem ser canadense (que apresenta apoio acima e abaixo do cotovelo) e lofstrand (que apresenta apoio apenas abaixo do cotovelo). Essas órteses atuam aumentando a base de sustentação durante a marcha. Seu diferencial é a sustentação de peso que pode ser em até 80% do peso corporal, dependendo do modelo.

Orientações para o uso de muletas:

  • Verifique a altura da muleta, considerando a borracha. A altura ideal é medida da axila ao meio do tornozelo (maleolo lateral).
  • Ao colocar as mãos na haste de apoio, o cotovelo deve ficar em uma semiflexão de até 30°
Os padrões de marcha com muletas possíveis são:
Marcha de 3 pontos: Que permite desde a não sustentação de peso até até um grande alívio de carga. Os padrões de 3 pontos são:
  • Marcha clássica: Em que a perna afetada e as muletas movem-se juntas, sem suporte de peso.
  • Marcha de toque no pé: Semelhante a anterior, porém o pé afetado toca o chão, após o avanço das muletas e do membro sadio. Esse tipo permite uma melhor propriocepção do indivíduo.
  • Sustentação parcial de peso: O membro e as muletas avançam simultaneamente fazendo sustenção parcial de peso.
Marcha de 2 pontos: Muleta direita e perna esquerda avançam simultaneamente, em seguida, avançam a muleta esquerda e a perna direita. Fazendo 2 pontos de apoio no solo.
Marcha de 4 pontos: É feito o avanço de uma muleta em seguida o avanço da perna oposta, depois a outra muleta e por fim a perna oposta. Fazendo 4 pontos de apoio com o solo.
Existe também uma variação chamada Marcha de balanceio: as muletas são colocadas a frente e, posteriormente, o corpo é impulsionado de modo que os pés passem à frente das muletas. Esse tipo de marcha é comum em pessoas com doenças neurológicas.

Bengalas

Publicado: agosto 25, 2011 em Saiba mais

  Esses dispositivos não são utilizados para sustentação de carga, mas sim como elemento de equilíbrio. Pois permitem um aumento da base de sustentação durante o ortostatismo.

 

 

A altura ideal da bengala é medida do trocânter maior do fêmur ao solo e cotovelo deve estar em uma semiflexão de até 30° A bengala deve usada do lado contrário a lesão. Devendo ficar perto do corpo, não ultrapassando o hálux.

Algumas orientações para o uso de bengalas:

1 – Verifique a altura da bengala ou bastão,considerando o topo até a base incluindo a ponteira de borracha.

2 – Coloque-se, em pé, com o corpo o mais reto possível,apoiado na base do calcanhar;

3 – Com as mãos, encontre a junção do fêmur e do quadril, sendo que o braço esteja com uma flexão não inferior a 30 graus.

a) A bengala deve ser utilizada, ao caminhar, como um elemento de equilíbrio e não como apoio;

b) Utilize sempre a bengala na posição reta (vertical) e na lateral oposta a sua lesão.

c) Não utilize a bengala sem a ponteira de borracha adequada e bem colocada.

d) Cuidado com pisos molhados.

 

O tradicional congresso de prótese e órtese na sua VIII edição. De 27 de setembro a 1 de outubro de 2011 em Natal-RN.

A Comissão Acadêmica do II Congresso Latino Americano de Ortopedia Técnica, presidida pelo Vice-Presidente da ABOTEC e Ortesista e Protesista Ortopédico Peter Kuhn lista abaixo as palestras aprovadas e que farão parte da Programação Ciêntífica de Palestras, que acontecerá entre os dias 29 de Setembro e 01 de Outubro de 2011.
Palestras:

* Inovações em tecnologias Biônicas para Próteses de Membro Inferior;

* Mãos Biônicas para amputações parciais de mãos e membros superiores;

* Órteses Walkaide: Inovadora Estimulação Elétrica Funcional;

* Alternativas Protéticas para casos de amputações parciais da mão;

* Experiência com I.T.A.L., internacional transradial artificial limb.

* Aplicação de novas tecnologias “PRE PREG” na ortopedia técnica;

* A participação de novas Soluções em materiais na Ortopedia Técnica avançadas;

* Apresentação dos Conceitos do Axon Bus System;

* Evoluções tecnológicas para os sistemas de mecatrônica para Membro Inferior;

* Modernas Soluções Ortésicas de acordo com cada patologia e recursos disponíveis;

* Avanços Tecnológicos na Fabricação de Órteses Plantares;

* Superfícies de suporte: Prevenção e Tratamento das Úlceras por Pressão;

* Órteses de Reciprocação para Lesão Medular;

* Modelos de Cadeira de Rodas e suas especificações;

* Indicações de Órteses para membro superior;